Seja bem-vindo. Hoje é

Você sofre de insônia?

Você sofre de insônia?
O sono é um período de descanso para o corpo, sendo fundamental para as suas funções biológicas. É uma atividade noturna e seu tempo de duração varia de pessoa para pessoa, sendo de maior duração na infância, diminuindo com a idade.
Insônia é a condição caracterizada pela dificuldade de dormir, tanto no que diz respeito ao inicio do sono, como também à sua duração, propiciando uma sensação de noite mal dormida com cansaço ao acordar. Além disso, pessoas com insônia podem apresentar cansaço e sonolência durante o dia, assim como dificuldade de atenção e concentração na escola e no trabalho.
A insônia pode afetar pessoas de todas as idades. Na terceira idade a duração do sono tende a diminuir e também a tornar-se mais interrompido, sem que seja caracterizada a insônia.
A insônia é uma situação muito frequente, e o seu diagnóstico correto é fundamental na escolha da terapia.

O que pode causar a insônia?

  • Estresse: preocupações com trabalho, família, saúde, escola podem impedir a pessoa de relaxar e conciliar o sono;
  • Problemas de relacionamento: dificuldade nas relações afetivas;
  • Ansiedade: ansiedade severa, bem como ansiedade relacionada com o dia-a-dia, pode manter a pessoa alerta causando dificuldades para dormir;
  • Depressão: pessoas com depressão podem dormir demais ou ter dificuldades para dormir;
  • Uso de remédios: alguns medicamentos podem causar insônia em algumas pessoas, dentre eles: remédios para reduzir a pressão arterial; corticoides; antidepressivos; remédios para perder peso; betabloqueadores; antialérgicos; remédios para gripe (descongestionantes); remédios para asma;
  • Fatores ambientais: luz, barulho (tráfego, aviões, televisão, fábrica e até latido de cachorro);
  • Uso de certas substâncias contendo: cafeína; álcool; nicotina;
  • Irregularidade de horários: mudanças de horário e períodos de trabalho, principalmente à noite, podem levar à insônia. Estabelecer uma rotina é um fator importante para evitar a insônia;
  • Inatividade física: pessoas com estilo de vida sedentário podem apresentar dificuldades para dormir;
  • Comer demais tarde da noite ou estômago vazio: pode causar desconforto ao deitar o que dificulta a pessoa a pegar no sono;

Dicas para dormir bem

Você sofre de insônia?
Aquietar a mente é essencial para relaxar, mas muitos insones não sabem como conseguir isso. A meditação é uma poderosa ferramenta para alcançar esse objetivo. Existem várias formas e técnicas de meditação que ajudam a relaxar, aquietar a mente e facilitar o nosso sono. Confira algumas dicas para melhorar a qualidade do sono:
  • Na hora de dormir, evite pensar em problemas ou fazer atividades que podem tirar o sono, como por exemplo, ficar no computador. Nessa hora você deve estar calmo e relaxado.
  • Evite cafeína, bebidas alcoólicas e fumo de quatro a seis horas antes de dormir por serem estimulantes.
  • Opte por refeições leves antes de dormir, evitando carne vermelha, frituras e gorduras. Prefira frutas, iogurte ou leite.
  • Nessa hora, use um tempinho para se cuidar. Tome um banho quentinho, escove os dentes, cuide da pele, do corpo e vista um pijama. Esses hábitos nos condicionam a dormir.
  • Ter um dia movimentado, praticando exercícios e caminhadas, é essencial para relaxar a noite.
  • Deite, feche os olhos, inspire lenta e profundamente pelo nariz e expire também profunda e lentamente pela boca. Durante cada respiração, acompanhe o ar entrando pelas narinas, saindo pela boca e o trajeto que ele faz pelo seu corpo. Repita a inspiração e a expiração sempre lenta e profundamente várias vezes.

Tratamento para insônia

Você sofre de insônia?
Ficar uma noite ou outra com dificuldade de dormir é normal. Se não é possível pegar no sono, mesmo obedecendo às orientações, é hora de procurar um especialista. Uma insônia que persiste de um a dois meses já está se encaminhando para uma insônia crônica.
Basicamente, o tratamento é dividido em não farmacológico e farmacológico. No primeiro, a principal indicação é fazer uma terapia comportamental. No ambulatório, o paciente é atendido por uma equipe médica, que fornece o diagnóstico e em seguida o encaminha para uma avaliação psicossocial – que avalia em detalhes o cotidiano do indivíduo. A partir daí, ele se torna um candidato a fazer terapia.
O tratamento farmacológico, como diz o nome, apoia-se em administração de remédios. Aí, entram em cena hipnóticos, antidepressivos e tranquilizantes – alguns até um pouco controversos, como os benzodiazepínicos. Criticados por oferecerem maiores riscos de tolerância e dependência, estas drogas são encontradas no Brasil com os nomes Dormonid, Lexotan, Rivotril e Valium.
Mas a escolha do remédio adequado vai depender fundamentalmente do diagnóstico, já que a insônia pode estar associada a outros transtornos, como depressão e ansiedade. Nesses casos, que são enquadrados na chamada insônia secundária, a falta de sono é tratada como um sintoma. O tratamento, então, é direcionado à doença de origem.
Mas o tratamento ideal para insônia é a mudança de pensamento. É tratar a insônia propriamente dita como fator secundário e tentar observar e tratar o problema real que está causando sua insônia.

Fonte: http://belezaesaude.dae.com.br/insonia/

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites